Correção de cicatriz: quando o procedimento é indicado?

A medicina avançou tanto nas últimas décadas que, hoje, existem diversas técnicas de correção de cicatriz. Apesar de a marca nem sempre ser motivo de incômodo, inclusive para alguns famosos, como Joaquin Phoenix e Kate Middleton, há quem prefira procurar alternativas para melhorá-la.

Ela nem sempre traz boas recordações, não é mesmo? Pode ser resultado de um acidente, uma cirurgia de emergência, entre muitas outras situações que, posteriormente, levam a pessoa a recorrer ao reparo.

Isso é possível por meio da cirurgia plástica e, também, de procedimentos não invasivos. Mas, cada caso é único e determinante para a abordagem que será definida pelo médico. Vamos explicar melhor o assunto, a seguir. Acompanhe!

Quando fazer cirurgia de correção de cicatriz?

Antes de definir o momento da cirurgia, vamos entender melhor sobre as cicatrizes.

A pele é composta por células que atuam em sua recuperação quando ocorre um corte. Para isso, os chamados fibroblastos aumentam a produção de colágeno, até estabilizar a lesão. A evolução desse processo vai determinar tipos diferentes de marcas.

Atrófica: Costuma ser mais afundada que a pele ao redor, como nos casos de acne.

Hipertrófica: Possui textura mais elevada, por causa da produção desordenada de colágeno.

Queloide: É uma marca bastante elevada, que ultrapassa a cicatriz e pode invadir outros tecidos. Algumas pessoas que colocam piercing costumam apresentar esse problema.

Indicações e contraindicações da correção de cicatriz

Não é possível apagar completamente as marcas na pele. Na verdade, o resultado do procedimento cirúrgico consiste na troca de uma cicatriz incômoda por outra de melhor qualidade, mais agradável visualmente para quem a carrega.

Ou seja, as queloidianas e as hipertróficas, que podem apresentar coceira e ter o tom diferente da pele, por exemplo, têm chances de ser melhoradas por meio da operação. Por outro lado, existem algumas situações em que não há a mesma recomendação, tais como:

  • Pessoas com dificuldade de cicatrização;
  • Infecções na região da cicatriz;
  • Acne ainda ativa na pele marcada;
  • Doenças de pele.
  • Outras formas de tratamento da cicatriz

Em muitos casos, a correção da cicatriz só é feita cirurgicamente quando outras alternativas não apresentam sucesso. São diversos os tratamentos oferecidos atualmente e, portanto, a consulta médica é fundamental para essa definição.

Os tratamentos tópicos com cremes, pomadas e hidratantes costumam ser a primeira opção, e o próprio paciente pode aplicar, conforme a orientação do especialista.

Além dessa abordagem, existem tipos de peeling que podem melhorar o aspecto da pele, além de laser, luz pulsada, carboxiterapia, entre muitos outros.

Planejamento da cicatriz

No caso das mais variadas cirurgias plásticas de estética, como o aumento de mama, as cicatrizes podem ser planejadas, de forma que fiquem esteticamente bem sutis e discretas.

Além disso, alguns recursos são utilizados no pós-operatório para favorecer o aspecto da pele. Por exemplo, existe um tipo de silicone em gel ou em placa que é colocado sobre a pele, depois que o corte é fechado. Isso tem ajudado na ação ordenada das células produtoras de colágeno.

E, para que o processo de recuperação ocorra bem, o paciente deve seguir todas as recomendações médicas, que podem incluir:

  • Repouso por todo o tempo determinado;
  • Uso de roupas apropriadas, como o sutiã de pós-operatório no caso das mamas;
  • Higienização correta;
  • Abolição total do cigarro.

Essas e várias outras medidas são fundamentais para prevenir a necessidade de um procedimento de correção de cicatriz.

Compartilhe esse conteúdo:

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
X
Threads

Conheça nossos Projetos Especiais

Leia também:

Agende sua Consulta